quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Flash Mob do X Congresso de Mulheres Católicas

Vamos juntos celebrar a Vitória, desde já dançando com Flash Mob do X Congresso de Mulheres Católicas.


                                          Compartilhe! Juntos celebremos a vitória!

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Jacira Mourão partilha sobre o 10 Congresso de Mulheres Católicas

Queridas Irmãs, a paz de Jesus

Eu sou Jacira Mourão e juntamente com Simone queremos dizer que com muita alegria estamos há dois dias do nosso x Congresso Evangelístico de Mulheres Católicas, e ansiosamente esperamos pela chegada de vocês, irmãs queridas!

Ao longo destes 10 anos o Senhor nos conduziu ao “novo” que Ele sempre tem para nós, e assim de ano para ano, Ele nos surpreende com novas inspirações e moções.

A preparação dos nossos Congressos e sua realização tem como base a pregação da Palavra, a oração e o louvor;  a partir da oração em cima de cada texto , o Senhor nos inspira às moções, que de ano a ano  se tornam verdadeiras pregações também a falar no coração de nossas irmãs congressistas, tão carentes do amor de Deus!! São as novas formas e métodos de evangelizar pedidos pelo nosso amado beato João Paulo II.

O Congresso deste ano tem como figura inspiradora Miriam, que louvou ao Senhor após a travessia do Mar Vermelho, que significou a libertação do povo de Israel. Seu louvor foi tão fecundo que fez com que o povo fosse atrás dela também louvando a Deus! Uma mulher contagiou todas as demais, é isto que buscamos!
Este tema tão celebrativo pela vitória de Deus sobre Faraó, veio de encontro à celebração dos 10 anos do nosso Congresso de Mulheres, que a muitas também curou e libertou.  Assim como Miriam pegou seu tamborim e louvou ao Senhor, nós fomos inspiradas por Deus a fazer o mesmo, a partir disto o nosso coração naturalmente se inclinou aos instrumentos usados para o louvor a Deus!


Então, de forma resumida, achamos que seria muito bom vocês já estarem a par do que estamos preparando  para que o coração de vocês igualmente se contagiem e desfrutemos de profunda comunhão! 

Até sexta-feira!
Com muito carinho deixamos nosso abraço fraterno, desejosas de também ouvi-las, caso desejem partilhar alguma moção que esteja no coração.

Jacira e Simone
Comunidade Divino Oleiro
“Deixa-te Modelar”

Clique aqui e faça sua inscrição.


segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Leigos Catequistas


Quando o mês de agosto tem cinco domingos, o último deles é dedicado especialmente aos catequistas. Desta vez são quase cinco domingos, pois o mês termina de sábado, no dia 31 de agosto. Na dança entre semanas e meses, desta vez a semana encaixa bem no mês, terminando junto com ele.

Mas independente de quatro ou cinco domingos, os catequistas se sentem contemplados no contexto do mês vocacional. Como de resto se sentem bem à vontade com seus catequizandos, independentemente se a comunidade valoriza, ou não, o seu bonito e importante ministério.
E ainda, há outro detalhe. Sabemos que a grande maioria dos catequistas são mulheres. Se de vez em quando convém usar a linguagem inclusiva, seria muito conveniente falar dos catequistas e, é claro, das catequistas. Mas temos a certeza que elas, as catequistas, não se sentem nem um pouco diminuídas se não enfatizamos sua condição de gênero.
Portanto, mulheres e homens assumem este ministério bonito, de iniciar na fé as crianças, os jovens, e também os adultos. Este ministério é o mais antigo que existe na Igreja. Mesmo quando uma paróquia não chegou ainda a formalizar em sua comunidade os diversos ministérios leigos, a catequese se faz presente.
Podemos dizer que é na catequese que se concretiza, de maneira especial, a assistência do Espírito Santo à Igreja, conforme a promessa feita por Cristo.
Mas se a catequese se realiza mesmo sem o apoio explícito que ela merece, não é que com isto ficamos eximidos de reconhecer sua importância, e de apoiá-la com o mínimo de recursos pedagógicos que devem se colocados à sua disposição.
Dada a importância da catequese na ação de transmitir a fé, assunto que tanto preocupa hoje a Igreja, vale a pena investir em conseguirmos bons roteiros pedagógicos, para as diversas etapas da catequese.
Neste sentido, a Diocese de Jales sente a alegria de ter elaborado, aos poucos, os seus livros de catequese, desde a catequese infantil, até a catequese de adultos, passando pela catequese de Primeira Eucaristia e da Crisma, dentro da série “Viver a Fé Construindo Comunidade”.
Nas reflexões em preparação da romaria diocesana deste ano, realizada no domingo passado, foram destacadas as diversas dimensões, vividas pela Igreja Primitiva. Dizem os Atos dos Apóstolos, que os primeiros cristãos eram “assíduos à doutrina dos Apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações”.
A primeira dessas dimensões tem uma evidente relação com a catequese: a perseverança na doutrina. Os próprios Apóstolos eram os catequistas das primeiras comunidades.
A Igreja Primitiva podia gozar deste privilégio, de ter convivido com o Mestre, de ter sido agraciada com a abundância do Espírito Santo, e de contar com a presença dos primeiros protagonistas da Igreja nascente, a nova comunhão de amor implantada por Cristo no seio da humanidade, onde ela sempre precisa permanecer como semente de força irresistível, como sal, luz e fermento fazendo germinar os sinais do Reino de Deus.
Mesmo não tendo desta vez um domingo especial para os catequistas, queremos reconhecer a importância de sua missão evangelizadora, com votos de que sejam os primeiros a experimentarem a alegria de viver os valores que eles nos transmitem.
Muito obrigado, mulheres e homens, catequistas de nossas comunidades! Que Deus os recompense pelo testemunho que nos dão e pelo trabalho que realizam!

Fonte: Dom Demétrio Valentini - Bispo de Jales (SP)

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

O 10 Congresso Evangelístico de Mulheres Católicas espera por você.



Venha celebrar a Vitória! Faça hoje mesmo sua inscrição.

Só inscrição:  R$10,00

Inscrição com alojamento: R$20,00

Inscrição e hospedagem na casa de retiros:  Não tem mais esta modalidade de inscrição.

(Nestes valores não estão inclusos as refeições).

Congressinho: Inscrição: R$ 10,00

Clique aqui e veja opções de pousadas e hotéis próximos.

Você pode fazer sua inscrição aqui ou em nossas Rádios, Espaços de Evangelização.

Participe e divulgue!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Parabéns!

Pe. Márcio!
Seja sempre feliz.

Desejamos que ao longo de toda a sua vida possa andar no caminho da sabedoria e do amor, semeando coisas boas na vida de todos que se aproximam de ti.

Temos a certeza que a tua plantação será como uma linda floresta, que é vista e apreciada de muito longe!

Parabéns pela pessoa que você é, e por deixar que apenas as sementes benéficas ganhem raízes na tua vida! Obrigado pela sua vida e missão à serviço da evangelização.

Feliz Aniversário!
São os votos da Família Mais Feliz com Jesus.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Vida Consagrada em templos complexos: mensagem da CNBB aos religiosos e religiosas

O segredo da vida consagrada está na fidelidade e na perseverança”. Esta é a afirmação do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, dom Pedro Brito Guimarães, na mensagem por ocasião do dia da Vida Religiosa Consagrada (18 de agosto, terceiro domingo do mês vocacional) em todo o Brasil.seguir, a íntegra da mensagem:
Brasília-DF, 19 de julho de 2013

cnbb logoMOVC – C – Nº 0418/13
MENSAGEM  DO PRESIDENTE DA COMISSÃO PARA OS MINISTÉRIOS ORDENADOS E A VIDA CONSGRADA DA CNBB, AOS RELIGIOSOS E ÀS RELIGIOSAS DO BRASIL

VIDA CONSAGRADA, EM TEMPOS COMPLEXOS. QUAL É A SAIDA?

Amado, amada de Deus, consagrado, consagrada do Reino, 
Tenho sede!
No clássico da literatura universal, Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, há uma cena em que Alice está perdida e, de repente, vê, no alto da árvore, um gato. Ela olha para ele e diz:
- Alice: "Você pode me ajudar?"
- Gato: "Sim, pois não".
- Alice: "Para onde vai essa estrada?"
- Gato: "Para onde você quer ir?"
- Alice: "Eu não sei, estou perdida".
- Gato: "Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve".
Nesta mesma obra, em outra cena:
- Alice: “Onde fica a saída?"
- Gato: “Depende”.
- Alice: “De quê?”
- Gato: “Depende de para onde você quer ir”.
Querido irmão, querida irmã, não é minha intenção - não tenho este direito -, comparar a Vida Religiosa Consagrada com Alice, com o gato, e nem com o fato de Alice estar perdida. O que gostaria de dizer é que, nas encruzilhadas da vida, “se o homem não sabe aonde quer chegar, qualquer direção parecerá certa” (LaoTsé). E ainda mais: "nenhum vento sopra a favor de quem não sabe para onde ir" (Sêneca). Dizia meu pároco, de saudosa memória: “o que cansa não é a caminhada; é a pressa de chegar ou não querer chegar”.
Creio que muitos de nós já cantamos esta linda canção: “Perdido, confuso, vazio, sozinho na estrada, tentando encontrar um caminho que seja o meu, não importa se é duro, eu quero buscar. Caminheiro, você sabe, não existe caminho. Passo a passo, pouco a pouco e o caminho se faz.Iguais, são todos iguais, ninguém tem coragem sequer de pensar. Será que ninguém é capaz de sentir esta vida e com ela vibrar? Será que não vale a pena arriscar tudo, tudo e a vida encontrar?” (Bendito B. Prado).
Andança, itinerância, mendicância, provisoriedade, missionariedade. Errante, vagante; risco, desânimo, solidão, desafio, perda, crise... Quem ainda não enfrentou tais situações ou vivenciou tais estados de ânimo? Porém, tudo passa! Só Deus basta! Sejamos firmes, fortes e fieis. “Os que confiam no Senhor são como o monte de Sião: nunca se abala, está firme para sempre” (Sl 125,1). Quem assim age pode ser comparado a uma casa construída sobre a rocha. Cai a chuva, vem a tempestade, sopra o vento e a casa não cai, pois está firmemente alicerçada (cf. Mt 7,24). Ele precisa apenas do nosso pedido: “permanece conosco, Senhor” (Lc 24,29).
Diante dos desafios, das dificuldades, dos embates e dos combates que a Vida Consagrada enfrenta hoje, como de resto, a própria Igreja, somos tentados a pensar que ela esteja em mar bravio, com seu barco a deriva, sem timoneiro, sem horizonte, confusa, na noite escura, sem perspectiva de um amanhecer banhado de sol. Quantas vezes nos sentimos perdidos, como Alice no País das Maravilhas, à espera de alguém que nos indique uma direção certa e segura.
No entanto, não nos esqueçamos: somos discípulos e discípulas de Jesus! Em meio às tormentas da vida, jamais podemos nos sentir perdidos como Alice! Cristo é nosso Amigo e nosso Guia, nossa Força e nossa Rocha, nossa Esperança e nossa Alegria e nossa certeza de Vitória. As dificuldades e as perseguições fazem parte de quem se faz discípulo de Cristo. Elas são sinais que purificam o nosso sim a Jesus.
A Vida Religiosa Consagrada é uma caminhada bela e edificante. E, nesta caminhada, haverá de cruzar e atravessar os umbrais do ponto focal, do ponto de partida e do ponto de chegada. A Vida Religiosa Consagrada tem seus segredos, seus encantos e suas paixões. O segredo da vocação à Vida Religiosa Consagrada está no encantamento por Jesus, por sua Igreja e pelo seu povo. Ninguém segue fielmente, por muito tempo, a alguém por quem não tenha encantamento. O segredo da fidelidade na Vida Religiosa Consagrada está no encantamento por Jesus, por sua pessoa, seu evangelho e seu projeto de vida.O segredo do seguimento missionário do consagrado e da consagrada está no encantamento pelo estilo e pelo modelo de vida missionária de Jesus. O segredo da vida espiritual do consagrado e da consagrada está na capacidade de se encantar ou se reencantar cada dia, de começar sempre de novo, e partir, sem olhar para trás. O segredo da Vida Consagrada está na fidelidade e na perseverança. Quem assim não vive, a chama da vocação se apaga e a vida perde o seu sentido e vira fadiga e rotina. Neste estado de ânimo, dificilmente uma vocação se manterá fiel e perseverante à obra e à missão.
O papa Francisco, falando, recentemente, aos seminaristas, aos noviços e às noviças, chamou-nos a atenção para quatro pontos que consideramos fundamentais e inegociáveis para a vida e missão da pessoa consagrada a Deus:
1.    Fujam do perigo da cultura do provisório:"eu não culpo vocês. Reprovo esta cultura do provisório que não nos faz bem, pois, uma escolha definitiva hoje é muito difícil. Na minha época era mais fácil, porque a cultura favorecia uma escolha definitiva tanto para a vida matrimonial, quanto para a vida consagrada ou sacerdotal, mas nesta época não é fácil uma escolha definitiva. Nós somos vítimas desta cultura do provisório".
2.    Sintam-se alegres por serem amados e chamados por Deus:“ao nos chamar, Deus nos diz: “você é importante para mim, eu te quero bem, conto contigo”. Entender isso é o segredo de nossa alegria. Sentir-se amados por Deus, sentir que para Ele não somos números, mas pessoas. Sentir que é Ele quem nos chama. Tornar-se sacerdote, religioso e religiosa não é, antes de tudo, uma escolha nossa, mas a resposta a um chamado e um chamado de amor".
3.    Sigam o caminho do amadurecimento, na paternidade e maternidade pastorais:"vocês, seminaristas e religiosas, consagrem o seu amor a Jesus, um grande amor; o coração é para Jesus. E isso nos leva a fazer o voto de castidade, o voto de celibato. Mas os votos de castidade e do celibato não terminam no momento dos votos, continuam. Quando um sacerdote não é pai de sua comunidade, quando uma religiosa não é mãe de todos aqueles com os quais trabalha, se tornam tristes. Este é o problema. A raiz da tristeza na vida pastoral é a falta de paternidade e maternidade que vem da maneira de viver mal esta consagração, que nos deve levar à fertilidade. Não se pode pensar num sacerdote ou numa religiosa que não são fecundos. Isso não é católico! Esta é a beleza da consagração: é a alegria, a alegria".
4.    Sintam-se chamados a uma Igreja missionária:"Deem sua contribuição em favor de uma Igreja assim: fiel ao caminho que Jesus quer. Não aprendem conosco, que não somos mais jovens; não aprendam conosco aquele esporte que nós, os velhos, muitas vezes fazemos: o esporte da reclamação. Não aprendam conosco o culto da reclamação. É uma deusa que se lamenta sempre. Sejam positivos, cultivem a vida espiritual e, ao mesmo tempo, sejam capazes de encontrar as pessoas, especialmente as desprezadas e desfavorecidas. Não tenham medo de sair e caminhar contracorrente. Sejam contemplativos e missionários...”
Caríssimo e caríssima, independente do que vocês fazem, somente pelo modo de vocês viverem a especial consagração a Deus e aos irmãos e irmãs, mais necessitados, vocês sempre me provocaram admiração, encanto, fascínio, paixão e vontade de imitá-los. Dentre tantos elementos que me fascinam, gostaria de destacar alguns:
1. Nas congregações, nos conventos, nos mosteiros, nas abadias, nas clausuras, nas casas de serviços e de inserções, surgiram os maiores e os mais queridos santos e santas da Igreja católica.
2. Nas universidades e faculdades, nos colégios e nas escolas católicas, vocês formam os maiores e os melhores teológos e teólogas, mestres e doutores que alimentam a vida com o sabor e o saber do evangelho de Jesus Cristo.
3. Vocês vivem os mais ricos e os mais bonitos estados de vida cristã: ativa, apostólica, mística, ascética, monástica, contemplativa. Tudo isso através das duas mãos da evangelização: a diaconia fraterna do serviço (Marta) e a diaconia da oração e da contemplação (Maria).
4. Nos hospitais, nas creches, nos orfanatos, nos pensionatos e nas outras modalidades das redes do amor social, vocês geram ou transformam vidas, mentes e corações, curando feridas, enxugando lágrimas, amenizando dores e cuidando dos sofrimentos de muitos irmãos e irmãs que batem às portas das beneméritas instituições de caridade cristã e de promoção social. Vocês vivem, em primeira pessoa, o que muito bem disse Madre Teresa de Calcutá:“Aqueles que ninguém quer, nós, cristãos, os queremos”.
5. Vocês, na Igreja católica, possuem os melhores e mais bonitos modelos de vida fraterna: tudo em comum, num só coração e numa só alma. A exemplo das primeiras comunidades cristãs, entre vocês ninguém passa necessidade (cf. At 4,32s).
6. Vocês preparam os melhores mestres em espiritualidade, os maiores místicos, missionários e mártires, que derramam seu sangue e dão suas vidas em resgate de muitos, como fez Jesus.
7. Vocês vivem, com corações indivisos, os maiores conselhos evangélicos: a obediência, a pobreza e a castidade.
8. Vocês vivem a forma multifacetária da vida cristã: homem e mulher; vocações laical, missionária, religiosa, especial consagração; papa, bispos, padres, diáconos, irmãos, irmãs, leigos e leigas...
Mas, como disse Jesus, a quem muito é dado, muito será exigido. Vocês estão pagando preço muito alto, por causa das ousadias e das audácias missionária, evangelizadora e apostólica (cf. DAp 273,549, 552). No momento atual vocês estão atravessando mares bravios. Entre estes, destacamos apenas dois que estão na origem dos demais desafios: a diminuição das vocações à Vida Religiosa Consagrada tradicional e o aumento das vocações às novas formas de vida consagrada.
Por fim, caro amigo, cara amiga, aceitem, de bom grado, o convite de Aparecida (551): “levemos nossos navios mar adentro, com o poderoso sopro do Espírito Santo, sem medo das tormentas, seguros de que a Providência de Deus nos proporcionará grandes surpresas”. Amém!


“Amo a todos vocês no Cristo Jesus” (1Cor 16,24).
Deus os/as abençoem!  
Brasília, 19 de julho de 2013 
Encerramento da AG da CRB.

Dom Pedro Brito Guimarães,
Arcebispo de Palmas e
Presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Semana da Família e as escolas: "dedicação às crianças e adolescentes na educação cristã"




Visite o Blog do 10 Congresso Evangelístico de Mulheres. Clique aqui.

mlogoCom o propósito de colaborar na educação das novas gerações a partir dos princípios cristãos, o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, dom João Carlos Petrini, enviou uma carta oficial aos centros educacionais do Brasil, por ocasião da Semana Nacional da Família, no desejo de solicitar que as escolas tenham em seu calendário atividades dedicadas à família. “Reconhecendo a potencialidade das suas atividades educacionais cristãs quer com crianças e adolescentes, quer com os pais, venho por meio desta, pedir que avalie a conveniência de uma cooperação com a Comissão, que presido, com a finalidade de expandir e fortalecer nosso esforço evangelizador”, manifestou dom Petrini.


Entre os objetivos desta parceria da Comissão da CNBB e as escolas está a necessidade de “provocar e desafiar os pais dos alunos a (re) assumirem cada vez mais a missão para que sejam os primeiros educadores dos valores humanos e autênticos transmissores da fé cristã”. Por outro lado, a Comissão deseja incentivar o crescimento da espiritualidade na família dos alunos, para que o lar seja um ambiente de partilha e desenvolvimento da fé, onde a vida deve ser respeitada desde sua concepção até a morte natural. Assim, “despertar as famílias dos alunos para sua missão sagrada, insubstituível e inalienável de educadora, de escola de vida fraterna e de gratuidade”.


Santa Missa da Campanha de Oração: Família - Berço das Vocações


Confira a carta na íntegra:

Brasília, 10 de junho de 2013

Prezado irmão (ã),

Agradeço a dedicação às crianças e adolescentes na educação cristã, num momento em que se multiplicam situações que colocam em risco o caminho de maturidade e a própria existência de muitos jovens, ao mesmo tempo em que emergem ataques cada vez mais intensos à família cristã.

A Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família (CEPVF) da CNBB, atenta a essas realidades, está procurando fortalecer as relações familiares através de inúmeras ações evangelizadoras, produzindo, inclusive, diversos subsídios que podem auxiliar nesta tarefa.

A cada ano é escolhido um tema que orienta essas iniciativas. Neste ano, o grande tema é “A transmissão e educação da fé cristã na família”.
Reconhecendo a potencialidade das suas atividades educacionais cristãs quer com crianças e adolescentes, quer com os pais, venho por meio desta, pedir que avalie a conveniência de uma cooperação com a CEPVF, que presido, com a finalidade de expandir e fortalecer nosso esforço evangelizador.

A CEPVF vem organizando há muitos anos a “Semana Nacional da Família”, que se realiza na 2ª. semana de agosto. Neste ano, o tema será: “A transmissão e educação da fé: tarefa dos pais”. Seria de extraordinária importância que a rede de centros educacionais que o senhor coordena, incorporasse a “Semana Nacional da Família” como temática anual no calendário escolar.

Também seria desejável que fosse apresentado, para ser utilizado como um dos instrumentos de trabalho, se considerar conveniente, o subsídio “Hora da Família”, que contem: 7 roteiros de reflexão sobre o tema, 7 histórias de casais beatificados e roteiros para celebrações em família. Esperamos estabelecer formas de cooperação tendo em vista o bem da família e a educação das novas gerações, no horizonte da Nova Evangelização, procurando concretizar em nossa história o desígno de Deus.

Que Deus abençoe e torna cada vez mais fecundo o seu trabalho na educação cristã.
Saudações em Cristo Ressuscitado.

Dom João Carlos Petrini
Bispo de Camaçari (BA)
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Comissão da CNBB sugere atividades para a Semana Nacional da Família

Lembramos que  neste domingo teremos no CEAR, Vila do Divino Oleiro, o LOUVOR DAS FAMÍLIAS. Participe e divulgue!

Teve início do domingo (11), e prossegue até o dia 17 de agosto, a Semana Nacional da Família 2013, com o tema “Transmissão e Educação da Fé Cristã na Família”. O evento é realizado nas comunidades eclesias do Brasil. A Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB convida as lideranças paroquiais para promoverem com intensidade e criatividade a família cristã nas comunidades e, principalmente, nas cidades. A Semana Família é para “todos aqueles que acreditam e amam a família”, conforme o convite da Comissão. 
Como recorda o Documento de Aparecida a “família é um dos tesouros mais importantes dos povos latino-americanos e é patrimônio da humanidade inteira. Em nossos países, uma parte importante da população está afetada por difíceis condições de vida que ameaçam diretamente a instituição familiar. Em nossa condição de discípulos e missionários de Jesus Cristo, somos chamados a trabalhar para que esta situação seja transformada e que a família assuma seu ser e sua missão no âmbito da sociedade e da Igreja”. (DA 451). 
O assessor da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, padre Wladimir Porreca, sugere algumas atividades motivadoras às comunidades paroquiais para a Semana Nacional da Família 2013:
Nos ambientes da igreja
• Celebrações, conferências, palestras, seminários, cursos, vigílias, memórias, homenagens, Horas Santas, procissões (com foco na liturgia dominical da família).
• Motivar os bispos, padres e seminaristas e, membros afastados e ex-coordenadores da comunidade para a Semana da Família (convidar para almoço, reunião, homenagem)
• Preparar ambiente das comunidades para celebrar a Semana da Família - mudar o ambiente, como no Natal (cartazes, imagens, murais, flores, faixas).
Nos ambientes públicos
• Pelos meios de comunicação - rádio, TV, jornais, boletins, murais, redes sociais (facebook), enviar e-mails temáticos a cada dia. Elaborar textos e falas pequenas e temáticas sobre a beleza da família.
• Manifestações evangélicas nas ruas, na câmara municipal, mesas redondas com lideranças comunitárias e religiosas;
Nas escolas
• Encontros entre os membros das famílias dos alunos no ambiente doméstico;
• Celebrações Ecumênicas, ou não, no ambiente escolar;
• Atividades escolares e lúdicas centradas na temática anual;
• Visibilidade da família cristã: testemunhos, manifestações, caminhadas, publicidade etc.
• Conferências e cursos sobre família
• Utilização do subsídio “Hora da Família” para professores e para as reuniões dos membros das famílias no ambiente doméstico.
• Atividades em comum com as comunidades paroquiais.
• Participação dos docentes e colaboradores em encontros no ambiente escolar e/ou em suas casas.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Papa Francisco envia mensagem e benção aos participantes da Semana Nacional da Família 2013

A Família Mais Feliz com Jesus se alegra com o casamento do Erichson e da Patrícia, consagrados da Comunidade Divino Oleiro. Sejam felizes!
No último dia 6 de agosto, o Papa Francisco enviou uma benção apostólica para os fiéis, comunidades e paróquias que participam, no Brasil, da Semana Nacional da Família. A programação, que ocorre entre os dias 11 e 17 de agosto, faz a reflexão do tema “Transmissão e Educação da Fé Cristã na Família”. O evento é animado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB.
A seguir, a íntegra da mensagem do Papa Francisco:
Vaticano, 6 de agosto de 2013
Queridas famílias brasileiras,
Guardando vivas no coração as alegrias que me foram proporcionadas durante a recente visita ao Brasil, me sinto feliz em saudá-las por ocasião da Semana Nacional da Família, cujo tema é “A transmissão e a educação da fé cristã na família”, encorajando os pais nessa nobre e exigente missão que possuem de ser os primeiros colaboradores de Deus na orientação fundamental da existência e a segurança de um bom futuro. Para isso, “é importante que os pais cultivem as práticas comuns de fé na família, que acompanhem o amadurecimento de fé dos filhos” (Carta Enc. Lúmem Fidei, 53). Neste sentido, os pais são chamados a transmitir, tanto por palavras como, sobretudo pelas obras, as verdades fundamentais sobre a vida e o amor humano, que recebem uma nova luz da Revelação de Deus. De modo particular, diante da cultura do descartável, que relativiza o valor da vida humana, os pais são chamados a transmitir aos seus filhos a consciência de que esta deva sempre ser defendida, já desde o ventre materno, reconhecendo ali um dom de Deus e garantia do futuro da humanidade, mas também na atenção aos mais velhos, especialmente aos avós, que são a memória viva de um povo e transmissores da sabedoria da vida. Fazendo votos de que vocês, queridas famílias brasileiras, sejam o mais convincentes arautos da beleza do amor sustentado e alimentado pela fé e como penhor de graças do Alto, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, a todos concedo a Benção Apostólica.
Francisco

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Congresso de Mulheres: Modalidades de Inscrição

O 10 Congresso Evangelístico de Mulheres Católicas espera por você. 

Só inscrição:  R$10,00

Inscrição com alojamento: R$20,00

Inscrição e hospedagem na casa de retiros: R$ 60,00

(Nestes valores não estão inclusos as refeições).


Você pode fazer sua inscrição aqui ou em nossas Rádios, Espaços de Evangelização.


Venha Celebrar a Vitória! Visite o Blog do Congresso e saiba mais....